Você está aqui: Página Inicial / Pesquisas / Teses

Teses

 RELAÇÃO DE TESES DE DOUTORADO DEFENDIDAS (2015 - JULHO/2019)

 

14ª- João Paulo Romanelli

13ª- Monise Terra Cerezini

12ª- Catarina Gonçalves Dias Netto

11ª- Caroline Lins Ribeiro Ferreira

10ª- Roberta Hehl de Sylos Cintra

09ª- Maira Miller Ferrari

08ª- Davi Fortes Galvão

07ª-  Daniel Gonçalves da Fonseca  

06ª-  Janaína de Fátima Fernandes

05ª-  Mayra Cristina Prado de Moraes Cavaliere

04ª-  Carlos Wilmer Costa  

03ª-  Pedro Luciano Colenci  

02ª-  Silvano Carmo de Souza  

01ª-  Rogério Aparecido Libório  


 17ª- Ana Claudia Toledo Prado dos Santos - http://lattes.cnpq.br/8745220815401034

Data da Defesa: 17/06/2019

Orientador(a):Prof. Dr. Luciano Elsinor Lopes

Título: “ENSINO DE ECOLOGIA NO PÁTIO DA ESCOLA (EEPE): APROXIMAÇÕES E DISTINÇÕES ENTRE SUA PROPOSTA E A EDUCAÇÃO POPULAR FREIRIANA; SUAS POTENCIALIDADES E LIMITES NO CONTEXTO ESCOLAR.”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Luciano Elsinor Lopes

 

Prof. Dr. Luciano Elsinor Lopes

Prof. Dr. Rodolfo Antônio de Figueiredo

Dra. Liane Biehl Printes

Profa. Dra. Haydée Torres de Oliveira

Profa. Dra. Rejane Cristina Brassolatti Silveira

Profa. Dra. Silvana Buzato


Resumo:

La EEPE (Enseñanza de Ecología en el Pátio de la Escuela) es una propuesta pedagógico-didáctica por medio de la cual educadoras/es y estudiantes elaboran preguntas sobre su entorno (natural, social y cultural) y las responden desarrollando acción propia y reflexionando. Estas son las etapas de la metodología que la EEPE emplea, llamado ciclo de indagación. En esta investigación, analizamos los principios y prácticas del EEPE a la luz de la educación popular freiriana, apuntando posibles aproximaciones y distinciones entre ellas. Para ello, analizamos tres documentos elaborados por los proponentes del EEPE y las siguientes obras de Paulo Freire: Pedagogía del oprimido, Pedagogía de la esperanza, Pedagogía de la autonomía y Por una pedagogía de la Pregunta. La actuación de la educadora/o en un equipo de investigadoras/es (de EEPE) nos parece similar al papel del "educador problematizador" (o educadora problematizadora) descrito por Freire, lo que traemos como una primera aproximación entre los dos enfoques. Una de las metas del EEPE propone "Rescatar el punto de vista local, no global" y puede ser asociada al respeto al mundo local de las/ los estudiantes. Otra aproximación clara entre las propuestas de Freire y del EEE se refiere a la valorización de las experiencias y conocimientos previos de las/los educandas/os. Asociamos la inquietud particular del ciclo de indagación al "tema generador" (Freire), así como la pregunta (EEPE) a la codificación (Freire). En las indagaciones libres, los estudiantes son estimulados a tener como punto de partida su propio marco conceptual (EEPE) o "saber de experiencia" (pedagogía Freiriana) como base para la elección del tema y elaboración de la pregunta. Tanto en lo que se refiere a su aplicación en la educación formal como a su aplicación junto a las comunidades, la propuesta del EEE puede aproximarse a la educación popular freiriana. Observamos que en la etapa de reflexión en los ciclos de indagación hay siempre la posibilidad de que surjan diálogos que lleven a las personas involucradas a posicionarse políticamente ante los problemas con los que se pueden encontrar a lo largo de los ciclos. La unicidad entre teoría y práctica, y la búsqueda por una transformación del mundo por ese camino, propuestos tanto por el EEE como por Freire, nos remiten al concepto de praxis. Sin embargo, el contenido político explícito en la obra de Paulo Freire, no aparece de forma tan explícita en la propuesta del EEPE. Siguiendo las metas globales del EEPE, la educación fomentaría la reflexión, la autonomía y la participación, esenciales para la actuación política del ciudadano. El énfasis del EEPE de la experiencia propia en el entorno local crea la posibilidad de un reencuentro con el ambiente y con los seres que lo habitan, propiciando el establecimiento de vínculos afectivos con el ambiente y los otros seres, a través de la experiencia. En nuestra búsqueda de aproximaciones y diferencias entre el EEPE y la pedagogía Freiriana encontramos muchas compatibilidades y algunas pocas distinciones. Ambos enfoques valoran la experiencia propia y la reflexión de las personas (estudiantes y profesoras/es) como el proceso educativo por excelencia, así como propone una postura activa ante el mundo.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:   

 Voltar


 

16ª- Flávia Darré Barbosa - http://lattes.cnpq.br/5207224763577173

Data da Defesa: 09/05/2019

Orientador(a):Prof. Dr. Frederico Yuri Hanai

Coorientador: Prof. Dr. Paulo Augusto Romera e Silva

Título: “COMITÊS DE BACIAS HIDROGRÁFICAS, REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÃO: DESAFIOS E POSSIBILIDADES À GESTÃO DA ÁGUA E DOS RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Frederico Yuri Hanai

Prof. Dr. Wagner Costa Ribeiro

Prof. Dr. Salvador Carpi Junior

Prof. Dr. Antonio Cezar Leal

Prof. Dr. Clóvis Henrique Leite de Souza

Resumo: O presente estudo teve como temas norteadores a representação e a participação na Gestão e Planejamento dos Recursos Hídricos no Brasil, mediante os Comitês de Bacia Hidrográfica (CBH’s). A hipótese da pesquisa partiu do seguinte princípio: o Comitê de Bacia Hidrográfica, considerado na Política Nacional de Recursos Hídricos, é o ente colegiado fundamental do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SINGREH) para assegurar a descentralização, a efetividade e a democratização da gestão pública dos recursos hídricos por meio da participação e representação dos segmentos sociais envolvidos nas decisões de gestão. Mas, existem desafios a serem superados para uma representação e participação mais efetiva que interferem na atuação, reconhecimento e legitimidade do CBH, perante ao SINGREH, Estado e sociedade. O objetivo geral deste estudo foi compreender como se dá a representação e a gestão participativa na política pública de recursos hídricos, tendo como base os Comitês de Bacias Hidrográficas, a fim de aferir a qualificação, a representação e a participação para fortalecer a atuação destes entes colegiados na gestão integrada e sustentável da água e dos recursos hídricos no Brasil. Para subsidiar as reflexões feitas no estudo adotou-se a abordagem sistêmica-crítico. A fim de alcançar os objetivos propostos foram utilizadas as técnicas de pesquisa bibliográfica e documental, entrevistas (com atores-chaves da gestão de recursos hídricos), questionários (com membros de CBH’s estaduais e interestaduais), estudo de campo com observação simples (no CBH Grande Interestadual) e estudo de campo com observação participante (no CBH turvo Grande/SP), que permitiram o levantamento dos principais desafios e possibilidades à gestão representativa e participativa dos recursos hídricos. A análise e interpretação dos dados foi realizada com a triangulação destas técnicas, associada à teorização progressiva. A partir dos achados da pesquisa, foi proposta a abordagem de que a participação e a representação, na gestão da água e dos recursos hídricos no Brasil, ocorrem em diferentes etapas, com graus e formas que compõem um processo participativo composto pela participação social, pública e popular. As etapas deste processo na gestão de recursos hídricos, considerando-se os CBH’s ocorrem com a própria institucionalização do colegiado, representação dos segmentos (poder público, sociedade civil, usuários de água), abertura à participação da sociedade civil organizada e práticas participativas. Os desafios identificados estão relacionados sobretudo à responsabilidade na representação, informação e necessidade de capacitação sobre o CBH, legitimidade nas decisões de gestão e reconhecimento do CBH como colegiado fundamental na gestão. A conclusão do estudo permeia a firmação de que, o CBH ocupa posição central, sobretudo no que tange a integração dos diferentes segmentos envolvidos com a gestão destes recursos, deliberações e proposições sobre os instrumentos de gestão, proximidade com a sociedade, ampliação da cidadania e gestão democrática da água.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:   

 Voltar


 

15ª- Evandro de Castro Sanguinetto - http://lattes.cnpq.br/3835865857287009

Data da Defesa: 23/04/2019

Orientador(a):Prof. Dr. Luiz Eduardo Moschini

Título: “SENSIAPROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO SENSORIAL DE ATRIBUTOS CLIMÁTICOS E DA PAISAGEM: Os sentidos da visão, tato, olfato e audição aplicados ao diagnóstico ambiental”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Luiz Eduardo Moschini

Profa. Dra. Dayana Almeida

Prof. Dr. José Augusto de Lollo

Prof. Dr. Carlos Wilmer Costa

Profa. Dra. Polyanna da Conceição Bispo

Resumo: O estabelecimento, permanência e reprodução de uma espécie ou população em um determinado ambiente está condicionada aos fatores limitantes do lugar (Lei do Mínimo de Liebig), e a fatores físico‐químicos dentro da faixa de tolerância da espécie ou população (Lei da Tolerância de Shelford). De modo semelhante, os atributos mais restritivos presentes em uma bacia hidrográfica devem ser considerados como determinantes para seu uso e ocupação em uma fase inicial. Intervenções que viessem a fortalecer e aumentar a disponibilidade daqueles fatores ou atributos inicialmente mais restritivos, orientariam a ocupação do espaço de maneira crescentemente construtora de relações mais sustentáveis, equilibradas e biofílicas entre os ambientes construídos e os naturais. Com esse referencial, a pesquisa teve por objetivo o desenvolvimento de um procedimento rápido, de baixíssimo custo, eficiente, de fácil aplicação e cientificamente consistente, para o diagnóstico e avaliação sensorial qualiquantitativa de um lugar, correlacionando e buscando compatibilizar os Agroecossistemas (agricultura, pecuária, silvicultura e ecossistemas naturais) e as Engenharias e Urbanismo (infraestruturas e urbanismo). Em diferentes pontos amostrais localizados na bacia hidrográfica ou área de interesse, os aspectos do Clima e Zonas Bioclimáticas, Relevo (Formas de relevo, Declividade, Orientação da Vertente,Pedregosidade e Rochosidade, Erosão e Movimento de Massa), Biota (Flora, Fauna,Cobertura do Solo, Matéria orgânica, Odor e Organismos do solo) e Solo (Permeabilidade, Compactação, Estrutura, Porosidade, Cor e Tonalidade, Mosqueado, Textura e Consistência seco, Consistência úmido, Plasticidade, Pegajosidade, Desintegração e Dispersão) são avaliados e pontuados. Como resultado final, um quadro numérico semafórico evidencia aqueles atributos mais ou menos restritivos em cada ponto amostral, compondo um mosaico da bacia e trazendo elementos pré‐projetuais para a tomada de decisão quanto ao seu uso e ocupação. Um “caderno de campo” ou“manual de campo”, escrito em linguagem comum e amplamente acessível, explicita os procedimentos para a avaliação e pontuação dos 27 atributos associados ao Clima, Relevo, Biota e Solo de um lugar.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:   

  Voltar


 

14ª- João Paulo Romanelli - http://lattes.cnpq.br/2406027035347454

Data da Defesa: 13/02/2019

Orientador(a):Prof. Dr. Marcel Okamoto Tanaka

Coorientadora: Dra. Raquel Stucchi Boschi

Título: “A BIBLIOMETRIA E A PESQUISA INTERDISCIPLINAR NAS CIÊNCIAS AMBIENTAIS”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Marcel Okamoto Tanaka

Profa. Dra. Erica Pugliesi

Profa. Dra. Raquel Stucchi Boschi

Prof. Dr. Ricardo Augusto Souza Fernandes

Prof. Dr. Rogério Antonio Picoli

Prof. Dr. Guilherme Rossi Gorni

Resumo:  

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:   

  Voltar


 

13ª- Monise Terra Cerezini - http://lattes.cnpq.br/3798596447156565

Data da Defesa: 19/12/2018

Orientador(a):Prof. Dr. Frederico Yuri Hanai

Título: “GESTÃO INTEGRADA E SUSTENTÁVEL DA ÁGUA EM BACIAS HIDROGRÁFICAS: FERRAMENTAS, DESAFIOS E DIRETRIZES”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Frederico Yuri Hanai

Prof. Dr. Bernardo Arantes do Nascimento Teixeira

Prof. Dr. Carlos Hiroo Saito

Prof. Dr. Jozrael Henriques Rezende

Profa. Dra. Synara Aparecida Olendzki Broch

Resumo: A sustentabilidade do desenvolvimento é uma questão imperativa nas discussões que permeiam a problemática da relação socioeconômica e ambiental na sociedade contemporânea. Ações no sentido de transmutar a essência desse conceito da teoria para as questões práticas aplicadas à gestão dos recursos naturais são tarefas complexas, fruto da natureza dinâmica e interdisciplinar dos sistemas natureza e sociedade. A presente pesquisa foi conduzida sob o embasamento teórico dos conceitos de gestão integrada e sustentável dos recursos hídricos no âmbito das bacias hidrográficas e teve como objetivo identificar quais são os desafios para a efetiva gestão dos recursos hídricos e compreender se as ferramentas atualmente existentes são adequadas para a gestão da água em bacias hidrográficas sob a ótica integrada e sustentável. Para isso buscou-se analisar os principais aspectos necessários para a conservação e uso sustentável dos recursos hídricos, investigar o uso e aplicabilidade das ferramentas que auxiliam o processo de tomada de decisão e propor diretrizes para a gestão integrada e sustentável da água. Foram identificados os principais desafios relacionados ao planejamento e gestão dos recursos hídricos por meio da análise da literatura e da consulta a especialistas pelo emprego da técnica Delphi. As ferramentas foram identificadas e analisadas a partir de metodologia baseada no ToolBox da Global Water Partnership (GWP) que considera os princípios da gestão integrada dos recursos hídricos. Como resultado, foram identificadas 60 ferramentas utilizadas atualmente em diversos aspectos na gestão de recursos hídricos e que contemplam a maioria dos aspectos da Gestão Integrada dos Recursos Hídricos (GIRH) e podem ser utilizadas para subsidiar o processo de tomada de decisão na gestão dos recursos hídricos. Os principais desafios identificados na gestão dos recursos hídricos se referem aos temas de Conhecimento e Educação, Participação, Órgãos Gestores, Balanço Quali-Quantitativo, Instrumentos de Gestão, Recursos Financeiros, Articulação Operacional e Legal, Conflitos de Interesse, Dados e Informação e Recursos Humanos. Como resultado final da pesquisa, foi realizada uma análise sobre a aplicabilidade das ferramentas sobre a perspectiva da GIRH e foram definidas diretrizes no sentido de desenvolver práticas de educação e capacitação, promover canais de comunicação, divulgação e acesso à informação, fortalecer os sistemas de gerenciamento de recursos hídricos, valorizar os recursos humanos, garantir recursos financeiros para o sistema, ampliar a gestão participativa, implementar os instrumentos de gestão, descentralizar a gestão das águas e garantir a gestão integrada dos recursos hídricos.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/11068

  Voltar


 

12ª- Catarina Gonçalves Dias Netto - http://lattes.cnpq.br/7044657111224219

Data da Defesa: 29/11/2018

Orientador(a):Prof. Dr. Marco Antonio Portugal Luttembarck Batalha

Título: “EVOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DA FLAMABILIDADE E DE TRAÇOS FUNCIONAIS RELACIONADOS AO FOGO ENTRE ESPÉCIES DE CERRADO E FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECÍDUA”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Marco Antonio Portugal Luttembarck Batalha

Prof. Dr. Hugo Miguel Preto de Morais Sarmento

Profa. Dra. Priscilla de Paula Loiola

Profa. Dra. Leonor Patrícia Cerdeira Morellato

Prof. Dr. Davi Rodrigo Rossatto

Resumo:  

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:   

  Voltar


 

11ª- Caroline Lins Ribeiro Ferreira - http://lattes.cnpq.br/5135544340165468

Data da Defesa: 30/08/2018

Orientador(a):Prof. Dr. Amadeu José Montagnini Logarezzi

Coorientadora: Profa. Dra. Kelci Anne Pereira

Título: “EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIALÓGICO-CRÍTICA E SUA RELAÇÃO COM A PRÁTICA DA AGROECOLOGIA E DA EDUCAÇÃO DO CAMPO NO TERRITÓRIO DO EXTREMO SUL DA BAHIA: ENTRE O DESCOMPASSO E O DESAFIO DE TRANSFORMAÇÃO”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Amadeu José Montagnini Logarezzi

Prof. Dr. Rodolfo Antônio de Figueiredo

Profa. Dra. Kelci Anne Pereira

Prof. Dr. Marcos Sorrentino

Profa. Dra. Graziela Del Monaco

Profa. Dra. Clarice Aparecida dos Santos

Resumo: Esta tese destaca, de experiências relacionadas à educação do campo e à agroecologia, matrizes formativas e práticas que possam auxiliar na problematização de questões socioambientais tradicionalmente debatidas pela educação ambiental, adotando uma perspectiva dialógico-crítica, com vistas à formação de sociedades sustentáveis. A metodologia qualitativa, com aproximações do método materialista histórico dialético, possibilitou evidenciar contradições existentes no contexto agrário do extremo sul da Bahia e também identificar práticas camponesas, dinamizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que têm apontado articulações e possíveis caminhos, para a superação de contradições antagônicas, diante do degradante momento histórico vivido, marcado pela ausência de reforma agrária e de outros entraves na formação de sociedades sustentáveis. Realizamos observações, entrevistas individuais e coletivas com sujeitos deste território e sistematizamos as informações em diário de campo partindo das categorias de educação ambiental, educação do campo e agroecologia. Durante a pesquisa de campo e após análises do material sistematizado, sobressaíram as experiências da Escola Popular de Agroecologia e Agrofloresta Egídio Brunetto, suas articulações com escolas do campo, bem como as aulas com o método de alfabetização de pessoas adultas “Sim, eu posso”. Nestas experiências há nítida intencionalidade do movimento de construir processos sistemáticos de educação agroecológica e do campo, com base na matriz produtiva agrobiodiversa e na matriz pedagógica do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, que associam organização coletiva, trabalho, cultura, luta social e história, em suas ações educativas na escola e fora dela. Como resultado, verificamos que essas experiências, com todas as contradições que as cercam, têm potencial para problematizar questões socioambientais tradicionalmente debatidas na área de educação ambiental, particularmente em uma perspectiva dialógico-crítica, que passa pela denúncia do modelo produtivo do agronegócio (com a sua pedagogia antiecológica e socialmente desigual) e pelo anúncio de uma práxis que tenta sintonizar os limites e as possibilidades ecossistêmicos com as necessidades produtivas e culturais das(os) camponesas(es), implicando uma nova cultura do trabalho e novas relações socioambientais na direção de formar sociedades sustentáveis. A pesquisa identifica princípios e práticas sociais do campo e discute como eles podem potencializar articuladamente uma abordagem dialógico-crítica de questões socioambientais, ao mesmo tempo em que indica a potencialidade desta abordagem de educação ambiental para o fortalecimento de práticas socioambientais relacionadas à educação do campo e à agroecologia.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10637

  Voltar


 

10ª- Roberta Hehl de Sylos Cintra - http://lattes.cnpq.br/9050347633367499

Data da Defesa: 22/08/2018

Orientador(a):Prof. Dr. Celso Maran de Oliveira

Título: “PANORAMA E PERSPECTIVAS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS E NORMATIVAS PARA A TRANSIÇÃO ENERGÉTICA NO CONTEXTO DA UNASUL”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Celso Maran de Oliveira

Prof. Dr. Francisco Antonio Dupas

Prof. Dr. Marcelo Coutinho Vargas

Profa. Dra. Ana Maria de Oliveira Nusdeo

Profa. Dra. Suzana Maria Calvo Loureiro Tavares da Silva

Resumo: A União das Nações Sul Americanas (UNASUL) é uma organização internacional formada por doze países sul-americanos, oficializada em 2008, e que busca um processo de integração regional, no qual o fator econômico não é a questão central, mas tratada conjuntamente com políticas sociais. Uma das principais metas da UNASUL é a integração energética. Nesta nova dinâmica geopolítica internacional a UNASUL enfrenta o grande desafio de compatibilizar integração com transição energética, salvaguardando os recursos e promovendo a passagem para uma economia de baixo carbono. Uma vez estabelecido o papel esperado por este ente frente às demandas energéticas regionais e mundiais, averígua-se o nível de compleição das energias renováveis dentro dessas tratativas. O trabalho desenvolvido teve como objetivo central investigar as normativas para energias renováveis planejadas para a integração energética dos países da UNASUL, e de que maneira o Tratado Energético Sul Americano (TES) contribui para a transição energética da região. Buscou-se demonstrar a hipótese de que o desenvolvimento sustentável proposto pela entidade não ocorrerá sem implementação de políticas e normas para a imediata transição energética e futura consolidação das energias renováveis nos Estados membros. No decorrer do trabalho são descritas as urgências ambientais, como a crise climática, processos de mitigação e as potencialidades das renováveis para a consecução do desenvolvimento sustentável, assim como os perigos da não promoção dessas formas de aproveitamento da energia. Aprofunda-se para uma discussão sobre a necessidade de políticas públicas para a eficaz promoção das energias renováveis, atentando para dois exemplos de sucesso, Chile e Alemanha. Na sequência é relacionada a essencialidade das políticas para as renováveis serem trabalhadas em um contexto alargado, levando em consideração a contiguidade dos recursos ambientais e a intermitência nas funções energéticas dos mesmos. Neste ponto, a proposta da UNASUL é apresentada, e são descritos os potenciais energéticos em cada um dos Estados membros, asseverando complementaridades, desafios e inseguranças. São expostas potencialidades para segurança e eficiência energética, bem como para o desenvolvimento socioeconômico, atestando para o aumento de empregos, diminuição da pobreza e desigualdades, e o potencial para distribuição mais equitativa dos ativos e passivos da exploração energética. Após levantamento de todas as normas para renováveis de cada país, descrevendo os principais instrumentos para promoção das tecnologias, foram elaborados quadros normativos congregando as principais informações e dados coletados. A partir deste são apresentadas correlações e comentários sobre similaridades e discrepâncias normativas, com vistas a contribuir para uma futura harmonização legal. Por fim, discorre-se sobre a plausibilidade do TES planejado ser capaz de promover a integração regional de forma sustentável e condizente com os objetivos e proposições da entidade. Assevera-se as implicações das normativas do TES para integração, concluindo-se não haver perspectiva de transição energética, se feita conforme planejado até o momento. Propõe-se e discorre-se acerca novos entendimentos sobre o direito à energia, para além do mero acesso, elevando-o à categoria de direito humano fundamental, descrevendo e comentando novos princípios, institutos jurídicos e a temática atual da democracia e justiça energética, como modo essencial de consecução dos ideais de igualdade de direitos e vida com dignidade.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10506

  Voltar


 

09ª- Maira Miller Ferrari - http://lattes.cnpq.br/6412888658400402

Data da Defesa: 14/08/2018

Orientador(a):Prof. Dr. Amadeu José Montagnini Logarezzi

Título: “NA SEMENTE JÁ EXISTE UM BAOBÁ: CAPOEIRA, EDUCAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO SOCIOAMBIENTAL”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Amadeu José Montagnini Logarezzi

Prof. Dr. Luiz Gonçalves Junior

Profa. Dra. Valéria Oliveira de Vasconcelos

Profa. Dra. Renata de Lima Silva

Prof. Dr. Luiz Augusto Normanha Lima

Resumo: Toda experiência social produz e reproduz conhecimento e, ao fazê-lo, pressupõe uma ou mais epistemologias, ainda que não intencional ou conscientemente. Na atual crise socioambiental é fundamental repensarmos o processo de conhecimento e suas conexões com o real constituído pelo sujeito que conhece e pelo objeto cognoscível. Nesse sentido, esta tese parte das seguintes questões: por que razão a epistemologia hegemônica eliminou de sua reflexão o contexto cultural e político da produção e reprodução do conhecimento? Quais foram as consequências de uma tal descontextualização? São hoje possíveis outras epistemologias? Como construir conhecimento para além da influência monopolizadora do pensamento europeu? Quais seriam as possíveis contribuições da capoeira na construção de outras epistemologias de modo a valorizar os aspectos socioambientais da realidade brasileira e a implicar sua transformação? Buscamos identificar como a capoeira, enquanto prática social afro-brasileira, pode engendrar processos educativos emancipatórios que contribuam com a transição para sociedades sustentáveis. Desenvolvemos nossa pesquisa de campo no Kilombo Tenondé, que é um centro de capoeira angola e permacultura, coordenado pelo mestre Cobra Mansa e localizado no município de Valença/BA, no Córrego do Mel, que é um ​ centro de pesquisa em educação, saúde e sustentabilidade por meio da capoeira angola, da permacultura e da espagiria, coordenado pelo mestre Índio e localizado em São Gonçalo do Rio das Pedras-MG, e também na Associação de Capuêra Angola Paraguassú, coordenada pelo mestre Jaime de Mar Grande, e localizada na Ilha de Itaparica - Gamboa/BA. Os resultados, as análises e os desdobramentos realizados estão apresentados na parte II desta tese através de artigos. A investigação ​ foi realizada com a orientação da metodologia comunicativo-crítica, ​ que se baseia nos conhecimentos de Paulo Freire e Jurgen Habermas. Pautado no diálogo e na crítica, este trabalho é um processo construído coletivamente entre a pesquisadora e as pessoas dos contextos pesquisados. Além da observação, interpretação, descrição e compreensão da realidade socioambiental, buscamos também sua transformação. Identificamos que há, no universo da capoeira, processos educativos pautados na diversidade de saberes afro-brasileiros e que esses processos são emancipatórios, uma vez que suscitam reflexões sobre o consumo, as relações étnico-raciais, a produção de alimentos, a sabedoria popular, a ancestralidade etc., criando condições para a busca de transformações socioambientais em diferentes dimensões. Assim, esses processos educativos pautados em epistemologias africanas se mostraram fundamentais para a intencionalidade e a inteligibilidade de sociedades socialmente justas e sustentáveis.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10579

  Voltar


 

08ª- Davi Fortes Galvão - http://lattes.cnpq.br/7820097279012204

Data da Defesa: 02/08/2018

Orientador(a):Prof. Dr. Juliano Costa Gonçalves

Título: “AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS: ANÁLISE TEMPORAL EM FUNÇÃO DA EXISTÊNCIA DA LEGISLAÇÃO DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DOS MANANCIAIS (APREM) DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS-SP - BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO DO FEIJÃO (BHRF)”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Juliano Costa Gonçalves

Profa. Dra. Renata Bovo Peres

Prof. Dr. Francisco Antonio Dupas

Prof. Dr. Rafael Alves Orsi

Prof. Dr. Marcelo Henrique Otenio

Resumo: A reflexão em torno das práticas sociais num contexto urbano marcado pela deterioração permanente do ambiente construído e do seu ecossistema, não pode prescindir da análise dos fatores determinantes do processo e seus atores nem das formas de organização social. Este estudo avaliou se a Lei das Áreas de Proteção e Recuperação de Mananciais (APREM) que contribuiu significativamente para a conservação ambiental da Bacia Hidrográfica do Ribeirão do Feijão (BHRF) no município de São Carlos durante sua vigência (2006 a 2016) buscando entender a ligação entre as atividades humanas, o contexto social local, mudança no uso da terra e os reflexos dessas dinâmicas na conservação do meio ambiente, proporcionando assim uma base para o uso sustentável e gestão dos recursos ambientais de São Carlos e outras regiões. As entrevistas realizadas com moradores locais e especialistas, levantou as representações sociais (RS) atribuídas a BHRF analisando o que as RS podem expressar sobre os pensamentos e relações que os indivíduos mantêm com os órgãos de fiscalização, com o Estado e com as leis ambientais. Essas expressões deram significado a percepção da população local sobre o estado de conservação da vegetação do entorno de onde vivem. A verificação da eficácia da Lei APREM e sua influência na conservação da BHRF-SC, foi facilitada por ferramentas de sistemas de informação geográfica que obtiveram dados dos anos de 2006, 2011 e 2016 comparando esses dados entre si e também com os municípios vizinhos (Itirapina e Analândia) que também fazem parte da BHRF sob influência da lei APREM. Verificou-se uma diferença entre as RS dos moradores locais, voltada principalmente para suas atividades produtivas e de subsistência, e as RS dos especialistas, voltadas para o abastecimento urbano. Essas diferenças nas RS sobre a BHRF geram conflitos posto que os especialistas também são responsáveis pela elaboração de leis ambientais na BHRF as quais os moradores locais estão sujeitos. As RS levantadas pelas entrevistas com os moradores locais da BHRF demandaram novas análises sobre RS, destacando-se as mais impactantes ao ambiente (representações sociais mais impactantes -RSMAI) e as representações sociais menos impactantes (RSMEI). As RSMAI estão relacionadas a subsistência, ao abastecimentos e uso doméstico, enquanto as RSMEI referem-se a BHRF como um local afetivo, ligado as seguintes abordagens:1) bem-estar e admiração, 2) a dinâmica ambiental e 3) água é vida. Em relação as análises dos dados de uso e cobertura do solo observa-se que no período compreendido entre 2006 (ainda sem a influência da lei APREM) e 2016, que as áreas florestais na BHRF-SC tiveram um aumento de 36,89% (de 25.94% da área para 35.51%). Já na parte da BHRF-Itirapina/Analândia a vegetação florestal passou de 16,02% para 18,83%, um aumento relativo de 17,54%. Em relação as áreas de preservação permanente (APPs) na BHRF-SC sob jurisdição da lei APREM, constatou-se que no mesmo período, as áreas de APPs tiveram um aumento de 16,42% sendo que na BHRF Itirapina/Analândia registrou-se um aumento de 11,1%. A percepção ambiental em relação ao estado de conservação da floresta mostrou coerência com os resultados da pesquisa em que 53,85% dos moradores entrevistados acreditaram que a vegetação florestal está aumentando, 26,92% afirmou que se manteve estável e 19,23% acredita que a vegetação está diminuindo. Em relação a importância dos órgãos de fiscalização, 69% dos moradores locais entrevistados acreditam que são importantes para a conservação ambiental, 23% para orientação e educação ambiental e 8 % demonstraram repulsa a esses órgãos. Quanto ao conhecimento da lei APREM por parte dos moradores, nenhum dos entrevistados pareceu conhecê-la; apenas tem algum conhecimento em relação a proteção de APPs e corte de arvores em geral.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10587

  Voltar


 

07ª-  Daniel Gonçalves da Fonseca  - http://lattes.cnpq.br/7623315609149062

Data da Defesa: 25/05/2018

Orientador(a):Prof. Dr. Marcel Okamoto Tanaka

Título: “CONSEQUÊNCIAS GEOMÉTRICAS DE PROCESSOS DEPENDENTES DE DENSIDADE EM MEXILHÕES E SUA INFLUÊNCIA NA BIODIVERSIDADE DE COSTÕES ROCHOSOS TROPICAIS”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Marcel Okamoto Tanaka

Prof. Dr. Luciano Elsinor Lopes

Prof. Dr. Victor Satoru Saito

Prof. Dr. Gustavo Muniz Dias

Prof. Dr. Ronaldo Adriano Christofolett

Resumo: O desmatamento das matas ciliares realizado por atividades de pastagens possibilita maior incidência solar sobre o leito dos córregos. A alta entrada de luz favorece o desenvolvimento de bancos de macrófitas, que além de contribuírem com alta taxa de produção primária são importante substrato para os organismos aquáticos. Esse substrato gera subunidades de estabilidade e microhabitats complexos que são utilizados como refúgio, local e fonte de alimentação e interferem nas relações tróficas dentro dos riachos. Macroinvertebrados bentônicos podem ser afetados de diversas formas pela presença de peixes (predadores), seja através de efeitos tróficos diretos (alimentação) ou de efeitos indiretos (ameaça de predação, bioperturbação, ligações tróficas). No entanto, a complexidade fornecida pelas macrófitas pode influenciar as interações tróficas entre peixes e macroinvertebrados, diminuindo a pressão de predação e permitindo a coexistência entre esses organismos. O objetivo do estudo foi avaliar a influência das macrófitas aquáticas nas comunidades de macroinvertebrados aquáticos. Na intenção de facilitar a compreensão, o estudo foi dividido em dois capítulos: (1) Comparou as comunidades de macroinvertebrados presentes em locais com e sem macrófitas em três diferentes riachos; (2) Avaliou o efeito das macrófitas aquáticas na colonização da assembléia de macroinvertebrados e na interação de predação entre macroinvertebrados e peixes, usando um experimento com gaiolas de exclusão em dois riachos. Os resultados permitem um melhor entendimento dos processos funcionais e estruturais de riachos, fornecendo conhecimento dos efeitos de alterações humanas no funcionamento desses sistemas.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2049

  Voltar


 

06ª-  Janaína de Fátima Fernandes - http://lattes.cnpq.br/4250822030431392

Data da Defesa: 19/02/2018

Orientador(a):Profa. Dra. Andrea Lucia Teixeira de Souza

Título: “VARIAÇÃO DE ATRIBUTOS FUNCIONAIS E SUA INFLUÊNCIA NO DESEMPENHO DE ESPÉCIES ARBÓREAS REINTRODUZIDAS EM ÁREAS DEGRADADAS”

Banca Examinadora:

Profa. Dra. Andrea Lucia Teixeira de Souza

Profa. Dra. Renata Sebastiani

Profa. Dra. Raquel Stucchi Boschi

Prof. Dr. Rodrigo Augusto Santinelo Pereira

Prof. Dr. Flavio Antonio Maës dos Santos

Resumo: O estudo dos traços funcionais de espécies arbóreas pode ser uma ferramenta útil no contexto da restauração florestal de ambientes degradados. Isto se deve ao fato de que, compreender as correlações entre os diferentes traços e suas interações com os componentes abióticos do ambiente degradado, pode permitir maiores generalizações e previsões a respeito do desempenho dos indivíduos de diferentes espécies reintroduzidas nestes ambientes. Esta tese é constituída por três capítulos independentes, mas com o objetivo comum de avaliar as variações dos atributos funcionais e como eles determinam o desempenho de espécies arbóreas reintroduzidas em áreas degradadas. No primeiro capítulo, investigamos espécies nativas reintroduzidas em uma área de cerrado degradada. Avaliamos as mudanças nos atributos funcionais e nas correlações entre eles ao longo do desenvolvimento inicial dos indivíduos. Encontramos que as maiores alterações nos atributos funcionais ocorreram nos primeiros meses e que os filtros ambientais devem ter influenciado fortemente estas mudanças desde o início do desenvolvimento das espécies. No segundo capítulo, avaliamos a influência dos traços funcionais e das condições de cultivo das mudas na sobrevivência e crescimento dos indivíduos na mesma área de estudo do primeiro capítulo, em duas fases distintas do desenvolvimento das espécies em campo. Descobrimos que em cada uma das fases, diferentes atributos funcionais contribuíram para a maior ou menor sobrevivência e crescimento dos indivíduos e isto pode ser atribuído a diferentes fatores limitantes do ambiente em cada período. No terceiro capítulo conduzimos o estudo em outra área em processo de restauração que apresentava um gradiente de fertilidade do solo. Avaliamos se as variações nos atributos funcionais dentro de espécies foram uma resposta direta aos diferentes níveis de nutrientes do solo ou se foram devido ao tamanho diferencial dos indivíduos. Encontramos que as variações na maioria dos atributos funcionais se relacionaram apenas ao tamanho dos indivíduos que cresceram mais vigorosamente em solos mais férteis. De maneira geral, nós mostramos que os atributos funcionais variaram ao longo do desenvolvimento das espécies, se relacionaram às condições ambientais das áreas degradadas e ao tamanho dos indivíduos, determinando o desempenho das espécies nestas áreas. Os traços funcionais podem ser utilizados para prever a resposta das plantas às condições ambientais das áreas degradadas em que são reintroduzidas, podendo, desta forma, auxiliar o planejamento de estratégias mais eficientes de restauração florestal.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9966

  Voltar


 

05ª-  Mayra Cristina Prado de Moraes Cavaliere - http://lattes.cnpq.br/1246771709401210

Data da Defesa: 23/10/2017

Orientador(a):Prof. Dr. José Eduardo dos Santos

Título: “VETORES DE MUDANÇA DOS USOS DA TERRA E NATURALIDADE DA ÁREA DE ENTORNO DA FLORESTA NACIONAL DE TRÊS BARRAS-SC”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. José Eduardo dos Santos

Prof. Dr. Yuri Tavares Rocha

Profa. Dra. Angela Terumi Fushita

Profa. Dra. Helena Dutra Lutgens

Prof. Dr. Edson Montilha de Oliveira

Resumo: A criação de Unidades de Conservação (UC) surgiu como uma estratégia para conservar remanescentes florestais nativos e minimizar a perda de biodiversidade. As UC enfrentam pressões externas, principalmente, representadas pelas atividades antrópicas atuantes na região de entorno das mesmas. O objetivo desta pesquisa foi analisar os impactos cumulativos resultantes da dinâmica do uso da terra que induziram mudanças na condição da naturalidade que configura os cenários da sustentabilidade ecológica da área de entorno da Floresta Nacional de Três Barras (Flona de TB), SC, ao longo do período de 30 anos (1986, 1997, 2011, e 2016). Para identificação dos usos e cobertura da terra foram utilizadas imagens LandSat de 1986, 1997, 2011 e 2016, por meio de vetorização em tela em ambiente de Sistema de Informações Geográficas. Com base nos resultados do uso e cobertura da terra foram obtidas as matrizes de transição dos usos da terra para os intervalos dos anos 1986-1997; 1997-2011; 2011-2016 e 1986-2016. Esses procedimentos foram efetuados no software ArcGIS 10.2. Foi feita uma análise com relação a área e a frequência dos fragmentos de vegetação nativa em todos os anos, e avaliada a conectividade funcional entre esses fragmentos por meio do software Conefor Sensinode 2.2. A análise da condição de naturalidade da área de entorno da Flona de TB foi realizada com a utilização do Índice de Urbanidade (IB) no software IDRISI. Os resultados da conectividade dos fragmentos florestais e naturalidade foram processados estatisticamente no software R para testar a hipótese nula de similaridade. Ao longo dos 30 anos estudados houve oscilações entre a porcentagem das áreas agrícolas, urbanas e naturais, evidenciando uma tendência na expansão das áreas dos usos antrópicos e perda de vegetação nativa. No decorrer do período estudado, os remanescentes naturais tornaram-se menos conexos na matriz. A expansão das áreas agrícolas está pautada nos vetores de mudança da paisagem relacionados às políticas públicas, socioeconomia, história da região, e as características ambientais da área de entorno da Flona de TB. Os cenários da condição da naturalidade apresentaram oscilações entre os anos de 1986 e 2016, havendo perda de áreas com alta naturalidade ao longo do tempo, indicando que a área de entorno está em processo gradual de perda da sustentabilidade ecológica decorrente do aumento das áreas antrópicas agrícolas e diminuição das áreas naturais. A compreensão dos vetores de mudança que atuam na área de entorno da Flona de TB pode ser um aliado essencial para a tomada de medidas pelos órgãos competentes que aumentem a conexão entre os remanescentes da Flona com o entorno, promovendo a sustentabilidade ecológica e a provisão dos serviços ecossistêmicos.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9689

  Voltar


 

04ª-  Carlos Wilmer Costa  - http://lattes.cnpq.br/6913631503818679

Data da Defesa: 29/09/2017

Orientador(a):Prof. Dr. Reinaldo Lorandi

Título: “MAPEAMENTOS GEOAMBIENTAIS, EM ESCALA 1:50.000, APLICADOS EM ANÁLISES DE PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE MANANCIAL PERIURBANO: BACIA DO RIBEIRÃO DO FEIJÃO, SÃO CARLOS, SP”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Reinaldo Lorandi

Prof. Dr. Luiz Eduardo Moschini

Prof. Dr. Francisco Antonio Dupas

Prof. Dr. José Augusto de Lollo

Prof. Dr. Thomaz Alvisi de Oliveira

Resumo: O fato da bacia hidrográfica do Ribeirão do Feijão (243,16km²) servir de fonte de água destinada ao abastecimento público da cidade de São Carlos, da ocupação desordenada e por vezes caótica da bacia se fazer presente e da ocorrência em grande parte da área da Formação Botucatu, foram as razões que levaram a realização deste trabalho. Foram desenvolvidos estudos envolvendo atributos dos meios físico (rochas, clima, relevo, solos e corpos hídricos), biótico (vegetação) e antrópico (cobertura e uso do solo). Neste contexto, tratou-se a questão dos mapeamentos geoambientais como subsídio ao planejamento territorial, sendo produzidos documentos cartográficos em escala de 1:50.000 que representam o diagnóstico ambiental da bacia. Os principais documentos cartográficos, elaborados a partir de cruzamentos de atributos em ambiente SIG, foram as cartas de potencial de contaminação de aquíferos, de potencial de escoamento superficial, de potencial de erosão acelerada e o mapa geomorfológico da bacia. Os resultados evidenciaram que as análises realizadas são compatíveis com as condições locais representadas pela morfoestrutura da Bacia Sedimentar do Paraná. O potencial de contaminação de aquíferos varia de Médio a Muito Alto em função da combinação de usos do solo que fazem uso indiscriminado de agroquímicos, sobrejacentes a litologias e tipos de solos de matriz arenosa, dispostos em terrenos de baixa declividade, o que favorece a infiltração de contaminantes. Verificou-se em grande parte do manancial um baixo potencial de escoamento superficial e Médio potencial de erosão acelerada (86,12% da bacia). Neste caso, os processos erosivos acelerados (381 ravinas e 19 voçorocas) apresentam relação direta com áreas de solos arenosos, pecuária extensiva e de cultivo da cana-de-açúcar. Os processos morfogenéticos Neoquaternários são intensificados em áreas de maiores potenciais de escoamento superficial, no domínio dos Morros Areno-Argilosos de Topos Convexos Altos, pois concentram 32,8% dos ravinamentos e 21,1% das voçorocas. A recarga das águas subterrâneas é intensificada nas Colinas Arenosas de Topos Convexos e Baixos, pois encontrarem-se posicionadas em regiões com baixo potencial de escoamento superficial, em função das baixas declividades (entre 0 e 10%), litologias e solos com matriz arenosa.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9550

  Voltar


 

03ª-  Pedro Luciano Colenci  - http://lattes.cnpq.br/7632574186989869

Data da Defesa: 03/08/2017

Orientador(a):Prof. Dr. Celso Maran de Oliveira

Título: “PLANO DIRETOR MUNICIPAL E PARTICIPAÇÃO POPULAR CONTRIBUTIVA AVALIADOS POR UM MODELO INTEGRADOR”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Celso Maran de Oliveira

Profa. Dra. Renata Bovo Peres

Prof. Dr. Gustavo Assed Ferreira

Profa. Dra. Luciana Helena Crnkovic

Profa. Dra. Carla Abrantkoski Rister

Resumo: Esta tese trata da participação contributiva na elaboração e na atualização do planejamento urbano e tem como objetivo apresentar qual é a influência da gestão contributiva nos processos de transformação que atualmente afetam a vida nas cidades e os processos de Planejamento Urbano. Para tanto, descreve, a fim de compreender a construção histórica, política e jurídica do urbanismo brasileiro; também identifica a construção do direito urbanístico como um ramo autônomo com a finalidade de demonstrar que este ramo, mesmo sendo autônomo como instituto jurídico, é dependente dos meandros políticos. Examinou-se a gestão democrática da cidade e os limites de contingência, realizou-se um diagnóstico da efetividade da contribuição cidadã na gestão pública municipal, examinou-se a democracia participativa na cidade de São Carlos de forma direta e secundária e, por fim, explicou-se o atual estágio do planejamento municipal por meio de um modelo integrador. É importante destacar que, paralelamente a esta pesquisa, foram realizadas duas pesquisas para acompanhar, levantar dados e avaliar o processo de revisão do Plano Diretor de São Carlos; com o resultado destas pesquisas, propôs-se aqui o modelo de Maturidade. Em relação à metodologia, o trabalho pode ser classificado como uma pesquisa descritiva, exploratória. Com relação à técnica empregada na coleta de dados, apoiou-se nos procedimentos da pesquisa bibliográfica, documental e da análise de dados secundários por extrair das pesquisas já realizadas. Como resultado da pesquisa, identificou-se que a necessidade de se sistematizarem as atividades de planejamento municipal decorre do modelo racional compreensivo a partir de um modelo esquematizado de tomada de decisões, que este estudo propõe avaliar o Grau de Maturidade dos agentes envolvidos no processo de formação ou de revisão do Planejamento Urbano com a finalidade de engajamento dos representantes e do povo, no qual a tecnologia e as ciências sociais contribuíram para um mundo melhor e o planejamento seria uma importante ferramenta para o progresso social. Assim sendo, a participação aparece como elemento fundamental em direção ao equilíbrio das forças que influem no processo de tomada de decisões.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9156

  Voltar


 

02ª-  Silvano Carmo de Souza  - http://lattes.cnpq.br/5675542907837639

Data da Defesa: 21/03/2017

Orientador(a):Prof. Dr. Amadeu José Montagnini Logarezzi

Título: “EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIALÓGICO-CRÍTICA NO PANTANAL DE MATO GROSSO: a voz e o silêncio das pescadoras e dos pescadores tradicionais”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Amadeu José Montagnini Logarezzi

Profa. Dra. Adriana Fernandes Coimbra Marigo

Prof. Dr. Nivaldo Nordi

Prof. Dr. Heitor Queiroz de Medeiros

Prof. Dr. Laudemir Luiz Zart

Resumo: Esta pesquisa de educação ambiental dialógico-crítica foi desenvolvida no município de Cáceres, Pantanal de Mato Grosso. Trata-se de um trabalho elaborado por muitas mãos, resultado de muitas vozes. Fruto da interação de trabalhadoras e trabalhadores que têm suas vidas entretecidas pelo intranquilo movimento das águas dos rios do Pantanal de Mato Grosso. Durante aproximadamente dois anos dialogamos com pescadoras e pescadores tradicionais vinculadas/os a duas entidades de representação da categoria: a Colônia Z-2 e a Associação de Pescadores Profissionais de Cáceres - Appec. Antes de se filiarem às entidades, essas pessoas e/ou seus familiares já desenvolviam tradicionalmente, há décadas, a pesca para subsistência. Tivemos como objetivo principal contextualizar a atividade pesqueira profissional artesanal no município de Cáceres, a partir do diálogo igualitário com pescadoras/es, de modo a promover, simultaneamente, processos de formação dialógicocrítica com elas/es, sobretudo a partir e a respeito de seus contextos. Para tanto lançamos mão do referencial teórico-metodológico freiriano e habermasiano – densamente consubstanciado na metodologia comunicativo-crítica. Nesse processo dialógico-diagnóstico, analíticodesvelador e propositivo-transformador dialogamos sobre três temas, considerados por elas e por eles como principais: a) exercício da pesca profissional artesanal; b) participação nas ações políticas da Colônia Z-2 e da Appec e nos processos de formulação das políticas públicas de pesca, e c) a conservação da biodiversidade de peixes. Os resultados, as análises e os desdobramentos dessa pesquisa estão arrolados na parte II dessa tese. São cinco artigos, nos quais procuramos, além de retomar em cada um deles o referencial teórico-metodológico que fundamenta este trabalho, igualmente discorremos sobre as reflexões que realizamos dialogicamente com 83 pescadoras e pescadores profissionais artesanais. Nos cinco artigos estão arroladas as motivações da voz lúcida e do silêncio ensurdecedor que impulsionaram nossos movimentos durante o período em que estivemos juntas/os. Em grande medida, identificamos que há, no seio dessas comunidades pesqueiras, uma disposição crescente ao diálogo freiriano, que de suas práticas sociais pesqueiras decorrem processos educativos nos quais estão implicadas intencionalidades educativas enfrentantes. Apesar de toda violência a que estas pessoas já foram e são submetidas, persiste candentemente a disposição em enfrentar os processos de espoliação de direitos. Por isso, a importância de pesquisas de educação ambiental embasadas em valores, práticas e conceitos dialógico-críticos, pois estas potencializam a coordenação de ações com vistas à superação dos processos de opressão, potencialização intrinsecamente aliada à sua participação dialógica como sujeitos históricos, que são também capazes de ler seu mundo e buscar sua transformação.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  http://lattes.cnpq.br/5675542907837639

  Voltar


 

01ª-  Rogério Aparecido Libório  - http://lattes.cnpq.br/9813845021079562

Data da Defesa: 15/02/2017

Orientador(a):Prof. Dr. Marcel Okamoto Tanaka

Título: “EFEITOS DE FLORESTAS RIPÁRIAS EM RESTAURAÇÃO EM ECOSSISTEMAS DE RIACHOS TROPICAIS NUMA PAISAGEM AGRÍCOLA”

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Marcel Okamoto Tanaka

Prof. Dr. Frederico Yuri Hanai

Profa. Dra. Odete Rocha

Prof. Dr. Juliano José Corb

Profa. Dra. Maria Teresa Zugliani Toniato

Resumo: A conversão de áreas naturais para as atividades humanas nas bacias hidrográficas é a principal causa da degradação de florestas ripárias, o que, consequentemente, diminui a integridade dos ecossistemas aquáticos. Assim a restauração de florestas ripárias tem sido recomendada como a melhor estratégia visando à recuperação de riachos em bacias desmatadas pelo uso e ocupação do solo. No Brasil, projetos de restauração de florestas ripárias ainda são recentes e pouco se conhece sobre os seus efeitos nos ecossistemas de riachos adjacentes. Este estudo avaliou os efeitos de florestas ripárias em restauração na qualidade da água e nas comunidades de macroinvertebrados aquáticos de riachos, utilizando a abordagem de múltiplas escalas espaciais de investigação. Para a amostragem, foi utilizado o protocolo desenvolvido pela Agência de Proteção Ambiental Norte-Americana (US-EPA). Foram comparados riachos com floresta ripária natural, floresta ripária em restauração e com zonas ripárias alteradas por pastagem ou gramíneas. Um trecho de 150 m foi definido em cada riacho e em cada trecho foram realizadas medidas da estrutura física dos habitats e da qualidade da água e amostragens de macroinvertebrados aquáticos. Na microbacia de cada riacho foi realizada a caracterização ambiental da paisagem para analisar o uso e ocupação do solo. A floresta ripária em restauração após 10 e 13 anos de implantação não afetou a qualidade da água e a diversidade biológica, sugerindo que a recuperação de riachos tropicais em resposta à restauração de florestas ripárias pode ser lenta em bacias hidrográficas fortemente alteradas pelas atividades humanas. O presente estudo preenche uma lacuna de conhecimento sobre os efeitos de florestas ripárias em restauração em riachos de paisagens rurais e sugere a necessidade de mais estudos e avaliações em longo prazo, integrando novos projetos de restauração de floresta ripária em bacias hidrográficas com diferentes intensidades vii de degradação humana, para melhor se compreender os efeitos da implantação destes projetos na qualidade da água e comunidades aquáticas.

Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001

URL – Repositório Institucional:  https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9034

  Voltar